O novo normal é sem escritório?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

O estudo intitulado Tendências de Marketing e Tecnologia 2020: Humanidade Redefinida e os Novos Negócios, realizado pelo diretor executivo da Infobase, André Miceli, ouviu tomadores de decisão e gestores de 100 empresas e apurou que o número de empresas que pretendem adotar o home office após a crise deve crescer 30%.  

A aposta deste modelo de trabalho em um mundo pós-pandemia vem em linha com grandes empresas globais, como Facebook e Google, que anunciaram que pretendem estender o home office durante este ano. Há corporações, inclusive, que adotaram o trabalho remoto como um modelo definitivo, abandonando os espaços físicos e investindo em tecnologia para não perder produtividade. 

É caso do Twitter. O CEO da empresa, Jack Dorsey, revelou que grande parte das operações da empresa serão permanentemente feitas por meio de home office. Nós temos pensado com seriedade na importância de sermos uma das primeiras empresas a mudar completamente seu modelo de trabalho presencial para o remoto”, declarou para o BuzzFeed americano.  

Separamos, aqui, algumas vantagens apontadas por profissionais e empresas que aderiram ao modelo: 

Para o profissional 

  • Mais autonomia e liberdade para trabalhar 
  • Flexibilidade de jornada 
  • Menos tempo gasto em deslocamento 

Para a empresa 

  • Redução de custos  
  • Atração e retenção de talentos 
  • Maior produtividade 

E, você, o que acha do home office? 

9 respostas

  1. Como resposta digo: “Acho que não… o Novo Normal apenas não pode apresentar uma rentabilidade e produtividade menor que o Velho Normal em tempos de normalidade”.

    O grande problema é a falta de politicas, processos e ferramentas tecnológicas para que a migração ocorra de maneira produtiva. Trabalho mais em casa (duas horas de jornada adicional por dia) do que na empresa e até agora não recebo ajuda de custo para internet e conta de luz, agua e outros custos associados ao dia-a-dia profissional.

    Mais autonomia e liberdade para trabalhar -> Não, continuo a trabalhar nos mesmos horários. Entro as 08:00hs e saio quando der.
    Flexibilidade de jornada -> Não, continuo a almoçar nos mesmos horários e na verdade prolonguei as jornadas, tudo é muito mais lento no encaminhamento de processos e resolução de problemas.
    Menos tempo gasto em deslocamento -> Sim, porém o “ganho” foi perdido numa jornada e trabalho mais longa.

    Para a empresa
    Redução de custos -> Verdade, muitos desses custos foram repassados aos funcionários (energia elétrica, agua, internet).
    Atração e retenção de talentos -> Acho que é irrelevante na analise, o Home Office não é um paraíso.
    Maior produtividade -> Sim, nossa carga de trabalho aumentou.

    Ainda vejo que o home office é menos produtivo, principalmente quando o volume de informações para a execução do trabalho é grande e que a interação entre os membros do time é frenética, nessa situação tudo fica mais lento e menos eficiente.

    Como resolver o problema de espaço dentro de uma casa quando três pessoas estão em home Office e você só tem dois espaços mais reservados? Queria um Home Office onde não atrapalhasse minha filha (que esta fazendo Doutorado) que minha mulher pudesse atender as dezenas de pacientes dela (psicóloga) com mais conforto, que meu filho (Área de TI de um grande Banco Nacional) pudesse trabalhar mais focado e pudesse executar as suas rotinas de implantação de sistemas as 02:30 da madrugada sem atrapalhar o sono de todos.

    Claro que o Home Office é legal (estou escrevendo esse “Livro” de shorts e camiseta) mas não é o “mar de rosas” que muitos tentam pintar. Apenas uma absoluta minoria consegue instalar em uma casa padrão, 4 áreas privativas para que 4 pessoas possam executar as suas funções com a mínima eficiência.

  2. Não acredito que o novo normal será sem escritório. Acredito sim que o home-office veio para ficar, mas como uma opção para os que se adaptaram ou para realizar uma vez por semana, por exemplo. Agora, o escritório proporciona condições de trabalho igualitárias, por exemplo com a mesma cadeira ergonômica, ar-condicionado, sanitários limpos, a mesma Internet de alta-velocidade, o mesmo ambiente favorável a troca de experiências, aprendizados e foco para todos. Pensando nos profissionais que vivem em condições precarias, onde nem internet chega direito, dividem o comodo com outras 4 pessoas, as vezes nem ventilador tem direito… como vão produzir o mesmo que produziam no escritório? Ou mesmo os mais juniores, jovem-aprendizes por exemplo, que precisam estar proximos de alguém para aprender o trabalho antes de ter autonomia para trabalharem mais soltos.
    Agora, acredito sim na flexibilidade, talvez ao invés de ter um escritório, ter hubs espalhados pela cidade que encurte as distâncias, ou levar o escritório para um modelo de assinatura onde paga só o que e quando usar.

  3. Boa tarde,
    Acho que estes podem ser alguns pontos superficiais e positivos sobre o tema ..
    Teremos que adaptar espaços e rotina.. Por exemplo quem tem filhos bebês moram em espaços menores ou com ambientes integrados por exemplo ficará mto difícil ter tempo e concentração. Empresas desde já não medem limite de tempo e mtas pessoas trabalham muito mais em casa do que no seu ambiente de trabalho.. Parece haver quando simplicidade e melhora.. mas no dia a dia, profundamente teremos outros pontos a serem discutidos.
    Por exemplo passar de 8 a 10 horas sentado em uma cadeira de cada, nem todos tem uma cadeira ergonômica uma mesa especial para trabalhar… Empresas terão que entender que cachorro late em plena reunião com seus diretores etc.. são assuntos que deparemos em casa pois meu cunhado é diretor de multinacional e meu esposo tb tem uma rotina com a Europa e USA que estando em casa mudaram mtas coisas tanto para o bem os citados na reportagem como algumas que ainda precisam ser melhoradas ou repensadas..

  4. Eu também sou adepta do Home office. Acho que todos ganham . O conforto e a flexibilidade de trabalhar em casa deixam as pessoas mais produtivas, acredito eu.
    E se a empresa combina Home office com gestão focada em qualidade , não em quantidade , então o resultado é melhor ainda!

  5. Penso que o home office resolve uma série de situações e, principalmente, descongestiona os centros urbanos, assim como a adoção de horários diversificados para as diversas atividades que exigem locomoção. Porém, o contato humano, a meu ver, é indispensável, empresas que pretendem trabalhar apenas remotamente irão perder em criatividade, iniciativa e trabalho em equipe. Nada substitui a convivência, em todos os aspectos.

  6. Como sou professora de educação infantil, acredito que na minha profissão o contato,abraço e estar com as crianças presencialmente e fundamental para o desenvolvimento tanto afetivo como cognitivo .Agora para os adultos que tem facilidade em se concentrar acredito que as aulas on line são bem produtivas .

  7. Pra mim não importa se home office ou presencial quero aprender a fazer parte do mundo do trabalho. Quero me atualizar e ser produtiva. Vocês podem me ajudar. Se puderem ficarei muito satisfeita.Abraco a equipe

  8. O setor de Corporate Real Estate projeta uma ressignificação do escritório. Muitas empresas entenderam a oportunidade gerada por esse novo momento, mudando o formato de trabalho de fixo ou com poucos dias em “home office”, para o modelo “home-based”, em que a regra é trabalhar de casa e comparecer às reuniões ou eventos quando convidado.
    Contudo, as atividades que imprimem a cultura empresarial tendem a se utilizar de âncoras espaciais para sedimentar os conceitos aos colaboradores. A sensibilidade à experiência do consumidor, também se estende com a preocupação quanto à jornada de experiência do colaborador, como elemento de “Employer Branding”.
    Espaços de destino com foco em “eventos” e atividades específicas como o feedback, tendem a dominar as partidas de projeto para os layouts de agora em diante.

  9. Fiquei surpresa com a produtividade e redução de custos que obtive com o Home office, imaginava que os funcionários não teriam disciplina para trabalhar ou mesmo poderiam ter menos rendimento ou criatividade, foi o contrário do que eu pensava. Pretendo continuar usando este método inclusive para mim mesma, mesmo após a pandemia.
    Jucimara M F Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *